terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Palestras em escolas integram ações contra Aedes


Palestras educativas em escolas fazem parte do mutirão contra o Aedes aegypti, iniciado na semana passada pela Secretaria Municipal de Saúde. Nesta terça-feira, 6, foi a vez da Escola Municipal Francisco Morais Filho, situada no bairro Santo Antônio.

Agentes de endemias orientaram as crianças, na faixa etária de 6 a 12 anos de idade, a combater o mosquito transmissor de Dengue, Chikungunya e Zika vírus. “O objetivo é que vocês sejam fiscalizadores em suas casas e não permitam que recipientes acumulem água parada. É isso que favorece o nascimento da larva”, orientou José Paixão, coordenador de área.

A diretora da escola, Dalvanir Marques, comemorou: “Gostei muito de receber os profissionais. Precisamos orientar, desde criança a adultos, a combater o mosquito, e a escola tem um papel fundamental nessa conscientização”, declarou.

Ações prosseguem durante todo o mês
Nesta quarta-feira, 7, será realizada palestra educativa na Escola Estadual Dix-Huit Rosado, localizada no bairro Bom Jardim, a partir das 8h. Na quinta-feira, 8, agentes de endemias promoverão uma blitz educativa, às 8h, nos cruzamentos das Ruas Seis de Janeiro com João Cordeiro.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Jório Nogueira abdica do Prêmio Vereador do Ano 2016

O presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Jório Nogueira (PSD), foi eleito Vereador do Ano 2016, na manhã desta segunda-feira. Porém, o parlamentar abriu mão de receber o Prêmio Vereadora Niná de Macedo Rebouças, em respeito à Resolução 16/2015, a qual não permite ao ocupante da Presidência ser o escolhido, e determinou nova eleição, quarta-feira (7), às 9h, na Sala de Imprensa Jornalista Kléber Barros.

A votação é secreta e espontânea (sem lista de nomes). Todos as 11 pessoas aptas ao voto – representantes de meios de comunicação, entidades de classe e servidores efetivos da Câmara – participaram da escolha. Os votos foram depositados em urna lacrada e contabilizados, em frente às câmeras da TV Câmara Mossoró, por uma comissão de servidores de carreira da Casa.

Equilíbrio
O vereador Jório Nogueira obteve 4 (quatro) votos e três vereadores ficam empatados em segundo lugar: vereador Genivan Vale (PDT), 2 (dois) votos; vereadora Izabel Montenegro (PMDB); 2 (dois) votos; vereador Alex do Frango (PMB), 2 (dois) votos, e o vereador Francisco Carlos (PP), 1 (um) voto.

Jório Nogueira se pronunciou tão logo foi comunicado do resultado, no início da tarde, na sala da Presidência: “Agradeço a todos que participaram da votação e aos que depositaram em mim o voto para ser o vereador destaque de 2016. Mas, uma resolução criada na nossa gestão, no ano passado, não permite que o presidente seja o eleito, para evitar possíveis embaraços éticos, e por isso uma nova eleição será realizada”.

Representatividade
Participaram da votação, como eleitores, Wellington Barreto, presidente da Academia de Ciências Jurídicas de Mossoró (Acejus), Michelson Frota, presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sindivarejo), Raimundo Rodrigues Ferreira, da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintracom), Vitor Pereira, vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Mossoró (Acim).

E também Agenor Melo, radialista da Rede Potiguar de Comunicação (RPC), J. Belmont, representante dos editores de blogs, Janaina Maria da Conceição Nunes, representante da TV Cabo Mossoró (TCM), Cezar Alves, jornalista do portal Mossoró Hoje, e os servidores de carreira Sérgio Oliveira de Assis, Rivete Bezerra Paz e Breno Vinícius de Góis. Sorteio definiu os servidores e a das empresas e entidades participantes, que designaram seus representantes para a votação (Resolução 02/2011).

O que é assédio moral e o que fazer?

Apesar de não ser uma prática nova no mercado de trabalho, o assédio moral vem sendo amplamente divulgado na última década, e as condutas de empregadores que resultam em humilhação e assédio psicológico passaram a figurar nos processos trabalhistas com mais recorrência. O assédio moral pode ser configurado em qualquer nível hierárquico e ocorre de forma intencional e frequente. Neste CNJ Serviço, procuramos esclarecer como costuma se caracterizar o assédio moral, suas consequências e o que fazer a respeito.

Conceito
Entende-se por assédio moral toda conduta abusiva, a exemplo de gestos, palavras e atitudes que se repitam de forma sistemática, atingindo a dignidade ou integridade psíquica ou física de um trabalhador. Na maioria das vezes, há constantes ameaças ao emprego e o ambiente de trabalho é degradado. No entanto, o assédio moral não é sinônimo de humilhação e, para ser configurado, é necessário que se prove que a conduta desumana e antiética do empregador tenha sido realizada com frequência, de forma sistemática. Dessa forma, uma desavença esporádica no ambiente de trabalho não caracteriza assédio moral.

Situações vexatórias
Como exemplos frequentes de assédio moral no ambiente de trabalho, podemos citar a exposição de trabalhadores a situações vexatórias, com objetivo de ridicularizar e inferiorizar, afetando o seu desempenho. É comum que, em situações de assédio moral, existam tanto as ações diretas por parte do empregador, como acusações, insultos, gritos, e indiretas, ou ainda a propagação de boatos e exclusão social. Os processos trabalhistas que resultam em condenações por assédio moral, quase sempre envolvem práticas como a exigência de cumprimento de tarefas desnecessárias ou exorbitantes, imposição de isolamento ao empregado, restrição da atuação profissional, ou ainda exposições ao ridículo.

Consequências
O assédio moral no trabalho desestabiliza o empregado, tanto na vida profissional quanto pessoal, interferindo na sua autoestima, o que gera desmotivação e perda da capacidade de tomar decisões. A humilhação repetitiva e de longa duração também compromete a dignidade e identidade do trabalhador, afetando suas relações afetivas e sociais. A prática constante pode causar graves danos à saúde física e psicológica, evoluir para uma incapacidade laborativa e, em alguns casos, para a morte do trabalhador.

Processo judicial
Não existe uma lei específica para repressão e punição daqueles que praticam o assédio moral. No entanto, na Justiça do Trabalho a conduta de assédio moral, se caracterizada, gera indenização por danos morais e físicos. Na esfera trabalhista, o assédio moral praticado pelo empregador ou por qualquer de seus prepostos autoriza o empregado a deixar o emprego e a pleitear a rescisão indireta do contrato.

As práticas de assédio moral são geralmente enquadradas no artigo 483 da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que determina que o empregado poderá considerar rescindido o contrato e pleitear a devida indenização quando, entre outros motivos, forem exigidos serviços superiores às suas forças, contrários aos bons costumes ou alheios ao contrato, ou ainda quando for tratado pelo empregador ou por seus superiores hierárquicos com rigor excessivo ou ato lesivo da honra e boa fama. Já na Justiça criminal, conforme o caso, a conduta do agressor poderá caracterizar crimes contra a honra, como a difamação e injúria, contra a liberdade individual, em caso, por exemplo, de constrangimento ilegal ou ameaça.

O que o trabalhador pode fazer
O trabalhador que suspeitar que está sofrendo assédio moral em seu ambiente de trabalho deve procurar seu sindicato e relatar o acontecido, assim como a órgãos como o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Superintendência Regional do Trabalho. Ele também pode recorrer ao Centro de Referência em Saúde dos Trabalhadores, que presta assistência especializada aos trabalhadores acometidos por doenças ou agravos relacionados ao trabalho. Para comprovar a prática de assédio, é recomendado anotar todas as humilhações sofridas, os colegas que testemunharam o fato, bem como evitar conversas sem testemunhas com o agressor. Buscar o apoio da família e dos amigos é fundamental para quem passa por um processo de assédio moral.

* Com informações da Agência CNJ de Notícias

Zerar carboidratos da sua dieta pode causar danos irreparáveis ao organismo


Tentar perder peso em pouco tempo pode levar muita gente que frequenta academias e que busca orientação na internet, sem nenhum tipo de acompanhamento profissional, a realizar uma dieta sem nenhum tipo de carboidrato, a famosa dieta "zero carbo". Apesar que, quando consumidos em excesso podem gerar aumento de peso, os carboidratos não devem ser cortados totalmente de uma dieta, em nenhuma hipótese.

Os riscos para a saúde de quem opta por isso são extensos, como explica a nutricionista esportiva, Lia Moreira. "O carboidrato é muito importante para o funcionamento do nosso organismo, principalmente para o bom funcionamento cerebral. A falta do carboidrato pode causar falta de energia e por consequência impede que se faça as atividades diárias de forma adequada. Além disso, pode causar ansiedade, fator depressivo, sobrecarga de função renal, diminuição na capacidade de raciocínio e alteração de humor. São diversos problemas no organismo", alertou, explicando o modo correto a seguir.

“O carboidrato não é vilão e nunca vai ser. É preciso saber quais alimentos e fontes de carboidrato devem ser consumidos. Os de alto índice glicêmico podem ser evitados, porque contribuem para um acúmulo de gordura corporal. Porém carboidratos ricos em fibras, e baixo índice glicêmico, são adequados para ingerir e mais saudáveis", falou.

De acordo com Lia, um grande erro nas dietas é comer fruta à vontade. "Não devem ser consumidas frutas sozinhas, porque tendem a dar pico insulínico e isso contribui muito para aumentar a gordura corporal. É importante calcular dentro da necessidade diária e não pode ingerir fruta a vontade em uma dieta", falou.

"A dieta com pouco carboidrato, conhecida com "Low Carbo", é benéfica para o organismo, desde que ela esteja calculada dentro da sua necessidade e você esteja fazendo com acompanhamento de um profissional. Então, dentro de alguns parâmetros pode ter um melhor resultado na modulação hormonal e também quanto de redução de gordura corporal. Claro que o resultado não é do dia para noite, mas o tempo de resposta é menor", finalizou.

No Carnatal, 167 condutores são autuados e 30 presos

A ação da Operação Lei Seca que vigorou no Carnatal deste ano, micareta que aconteceu entre os dias 1 e 4 de dezembro na capital potiguar, foi concluída no domingo (4), com mais uma blitz. O saldo das fiscalizações efetivadas durante a micareta chegou a 167 condutores autuados por embriaguez ao volante. Já por prática de crime de trânsito, 30 pessoas foram presas. De acordo com os policiais da Operação Lei Seca do Detran, aproximadamente 2.700 abordagens a motoristas foram feitas.

Em nota emitida pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), cerca de 675 averiguações foram alcançadas durante cada uma das quatro noites. “Os números mostram que 22 veículos foram apreendidos e que 47 autos de infração por motivos diversos foram computados”, inclui a nota.

O diretor geral do Detran, Marco Medeiros, avaliou de maneira positiva o trabalho de fiscalização, e apontou para a perspectiva do número de acidentes e vítimas fatais do trânsito preservadas com a trabalho assíduo produzido pela equipe da Operação Lei Seca. “O trabalho foi realizado com competência e com o único e exclusivo objetivo de preservar vidas no trânsito, zelando por condutores e pedestres, e isso foi alcançado inibindo a combinação perigosa de álcool e direção”, falou.

Última Noite
Na última noite do Carnatal a blitz da Operação Lei Seca foi montada no cruzamento das Avenidas Prudente de Morais com Miguel Castro, no bairro de Lagoa Nova. A fiscalização flagrou 19 condutores dirigindo sob efeito de álcool. Desse total, cinco foram presos por registrarem a quantidade de álcool por litro de ar expelido igual ou superior a 0,33mg. Ainda foram realizados três autuações por motivos diversos por desrespeito ao Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Para o coordenador da Operação Lei Seca do RN, capitão Isaac Paiva, a última noite do Carnatal foi a mais calma em termos de flagrante de desobediência as leis de trânsito. “Foi o dia mais tranquilo do Carnatal, as pessoas já estavam cientes da realização das blitz em virtude do intenso trabalho realizado nos dias anteriores”, informou.
Durante a última noite de Carnatal a equipe da Operação Lei Seca fiscalizou 523 condutores. (Do G1/RN)

sábado, 3 de dezembro de 2016

Câmara escolherá ‘Vereador do Ano’ próxima semana

A Câmara Municipal de Mossoró realizará a votação para escolha do Vereador do Ano 2016, segunda-feira (5), às 10h, na Sala de Imprensa Jornalista Kléber Barros. O parlamentar eleito vai receber o Prêmio Vereadora Niná de Macedo Rebouças. O troféu será entregue na sessão solene em homenagem à Santa Luzia, sexta-feira (9), às 10h, na Sala de Sessões Vereador João Niceras de Morais.

Conforme a Resolução 02/11, instituída dia 22 de fevereiro de 2011 e que regulamenta o Prêmio Vereadora Niná de Macedo Rebouças, o eleito é escolhido por comissão composta por 11 membros (art. 3º), dos quais são quatro representantes de meios de comunicação, quatro representantes de entidades da sociedade civil organizada e três servidores de carreira da Câmara Municipal.

Participantes
Sorteio realizado terça-feira (29), na sede da Câmara, definiu que, entre as mídias rádio, TV, portal de notícias e blogs, os veículos participantes são Rede Potiguar de Comunicação (RPC), TV Cabo Mossoró (TCM), Mossoró Hoje e Blog J. Belmont.

Entre as entidades de classe, os sorteados são Associação Comercial e Industrial de Mossoró (Acim), Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil de Mossoró (Sintracom), Academia de Ciências Jurídicas de Mossoró (Acejus) e Sindicato do Comércio Varejista de Mossoró (Sindivarejo). E, entre os servidores da Casa, Breno Góis, Rivete Paz e Sérgio Oliveira.

Logo após definido o sorteio, a Câmara enviou ofícios aos veículos de comunicação e entidades, solicitando a designação dos representantes para a votação. Os indicados foram Agenor Melo (RPC), Janaina Maria Conceição Nunes (TCM), Cezar Alves (Mossoró Hoje), José Carlos (Acim), Francisco Neves (Sintracom), Wellington Barreto (Acejus) e Michelson Frota (Sindivarejo).

Reconhecimento
O Prêmio Vereadora Niná de Macedo Rebouças – denominação em homenagem à vereadora falecida em 2010, então 1ª secretária da Câmara Municipal de Mossoró –, destaca o melhor vereador ou vereadora do ano. Os critérios de escolha respeitam resultado, originalidade, repercussão coletiva da ação parlamentar.

Também observa, na avaliação do trabalho legislativo, aspectos de inovação, impacto na qualidade de vida do cidadão, emprego eficaz e racional dos recursos públicos, viabilidade técnica, entre outros. Essas qualidades estão expressas na Resolução que regulamenta o prêmio, cuja cópia foi enviada a todos os votantes.

Verão das Antigas confirma todas as atrações


Falta um mês para janeiro e as atrações do Verão das Antigas 2017 já estão confirmadas. A NEWMAR Produções, dos empresários Nil Costa e Marcílio Maia que realizaram as cinco edições anteriores, anunciou hoje que o palco terá Luiz Caldas, como atração principal, além de Renata Falcão, Alfredo e os Caras, Roberto e Banda, e Swing da Cor para agitar a noite de Tibau.

A nova edição da festa acontece dia 07 de janeiro, no Club Álibi, e pela primeira vez em horário mais cedo, às 20h, e no sábado. As senhas serão vendidas nas lojas da San Lorenzo, localizadas no Partage Shopping e Liberdade.